fbpx
Connect with us

Cidades

Nova Ferroeste deve reduzir custo de transporte em 30% em Mato Grosso do Sul

Evento de apresentação do edital ocorreu nesta terça-feira (21) em Curitiba (PR)

Publicado

on

Mato Grosso do Sul escoa 40% da produção pelo Porto de Paranaguá. Estas mercadorias poderão ser transportadas em um futuro próximo pela Nova Ferroeste e com um custo até 30% menor. Os cálculos foram feitos pelo secretário de Estado da Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, que representou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, no lançamento, no Palácio Iguaçu, da consulta ao edital de leilão da Nova Ferroeste, no dia de ontem (21).

A linha férrea vai ligar Maracaju, em Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, com um ramal também em Santa Catarina, impactando diretamente 67 municípios, sendo oito em Mato Grosso do Sul. Somente no Estado serão 333 quilômetros de ferrovia com investimentos previstos de quase R$ 5 bilhões.

O projeto já nasce como o segundo maior corredor de grãos e contêineres refrigerados do País, o que deve transformar o Paraná em um hub logístico da América do Sul por atrair parte da produção de países vizinhos como Argentina e Paraguai. Se estivesse em operação hoje, a ferrovia poderia transportar cerca de 38 milhões de toneladas de produtos e 26 milhões de toneladas seguiriam diretamente para o Porto de Paranaguá.

A contraprestação mínima, o chamado lance inicial segundo o edital, será de R$ 110 milhões, valor que será revertido integralmente para a Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A., administradora do atual trecho em operação. “Este é apenas o valor da cessão onerosa da Ferroeste. Quem vencer a licitação fará os investimentos necessários na ferrovia, que serão de R$ 35 bilhões, sendo R$ 5 bilhões somente dentro do Mato Grosso do Sul”, explicou Verruck.

O secretário destacou que a partir da divulgação do documento há um intervalo para receber contribuições da sociedade, o que vai até 15 de julho. A publicação oficial do projeto só acontecerá com a emissão da Licença Prévia Ambiental, prevista para o segundo semestre. É o que permite o pregão na Bolsa de Valores (B3). A previsão é que a concorrência para a iniciativa privada ocorra ainda no segundo semestre deste ano. O acordo é válido por 99 anos.

O investidor privado que arrematar a ferrovia será responsável pela construção do trecho completo, de 1.567 quilômetros, incluindo os ramais entre Foz do Iguaçu/Cascavel, Chapecó/Cascavel e Dourados/Maracaju. Porém, como forma de atrair mais investidores para o leilão, a cessão onerosa da Nova Ferroeste será subdividida em cinco contratos, sendo quatro de autorização e um de adesão.na solenidade de lançamento do edital da Nova Ferroeste.

Projeto transformador

O governador do Paraná, Ratinho Júnior, reforçou novamente que a ferrovia que corta o Paraná é essencial para a transformação do Estado em hub logístico da América do Sul. “Conectaremos Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e, com o ramal de Foz do Iguaçu, também o Paraguai. Isso viabiliza a ligação férrea com a Argentina e Chile, até Antofagasta, criando o corredor bioceânico multimodal que vai ligar o Pacífico ao Atlântico, tendo o Paraná como protagonista”, destacou.

Já o secretário de Produção de Mato Grosso do Sul destacou o potencial de uma obra deste porte para o Estado. “Mato Grosso do Sul é um grande exportador de comoditties e hoje 40% de tudo que nós exportamos vai pelo porto de Paranaguá. Os produtos seguem hoje através de caminhões. Então esta ferrovia que saíra de Maracaju e chegará até Paranaguá vai dar mais competitividade à produção sul-mato-grossense”, salientou o secretário de Mato Grosso do Sul.

Ele explica que a ferrovia irá atender ainda os fornecedores de milho e farelo do Paraná e os de Santa Catarina. “A Ferroeste além de permitir competitividade contribuirá para o acesso aos mercados internos dos estados do sul”, afirmou.

Verruck lembra que Mato Grosso do Sul é um grande produtor tanto de farelo como de soja como de milho. “Mato Grosso do Sul hoje é um estado que produz 12 milhões de toneladas de milho e cerca de 13 milhões de toneladas de soja. Então, que a gente conseguir fazer essa melhoria em termos de custo de modal, acho que esse é um ponto fundamental. O Brasil também precisa desse deslocamento do transporte rodoviário, pois os caminhões do Mato Grosso do Sul estão andando 1.400 quilômetros para chegar ao porto. Nós esperamos que agora faça isso através da ferrovia, com um custo praticamente 30% inferior mais a competitividade e também atendendo o mercado tanto do Paraná como Santa Catarina”, finalizou.

De acordo com o edital, a partir da execução da fase I, que vai unir por trilhos o Litoral ao Oeste do Paraná, o vencedor do leilão terá 36 meses (o intervalo entre os anos 7 e 10) para estar apto a iniciar a construção do projeto completo, que inclui a entrega do plano de execução dos outros quatro contratos, todos de autorização, ligando Cascavel a Maracaju, com passagem por Guaíra e Dourados; e a Foz do Iguaçu e a Chapecó (ramais). A peça jurídica contempla indenização ao Estado em caso de rompimento do contrato no período.

(Com assessoria. Foto: Divulgação)

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

CBMMS inicia Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio

Serão realizadas atividades institucionais pelos quartéis da Corporação

Publicado

on

De 26 de junho a 2 de julho de 2022, comemora-se a Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio. Durante esse período, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) está realizando diversas ações em todo o estado.

Serão realizadas atividades institucionais pelos quartéis da Corporação, tais como simulados técnicos operacionais, ações esportivas, educativas, palestras, concerto de música, entre outras.

Em Campo Grande, nesta segunda-feira (27), foi realizada a abertura da Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio com um Culto Ecumênico, no auditório do Bioparque Pantanal.

O evento contou com a participação de representantes das religiões Católica,   Evangélica e Espírita. Vários bombeiros militares da Capital estiveram presentes no Culto Ecumênico.

” É um momento que fazemos uma reflexão sobre nosso trabalho em benefício da população e pedimos a Deus, o nosso Comandante-Supremo, para que abençoe  toda a nossa Corporação para podermos seguir cumprindo com a nossa missão de salvar vidas”, destacou o Comandante-Geral do CBMMS, Coronel Hugo Djan Leite.
(Com assessoria. Foto: Divulgação)

Continue Lendo

Cidades

Depen destaca ações educativas em presídios de MS

Servidores responsáveis pelas atividades educacionais em presídios da capital receberam orientações

Publicado

on

Com o objetivo de reconhecer e estimular práticas educativas no sistema prisional, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) está percorrendo todo o país para verificar de perto as ações desenvolvidas pelos estados. Na última semana, o coordenador de Educação, Cultura e Esporte da Diretoria de Políticas Penitenciárias do órgão federal, Rodrigo Dias, esteve em Mato Grosso do Sul.

Durante a visita, se reuniu com a diretoria da Agência Estadual de administração do Sistema Penitenciário (Agepen), visitou unidades prisionais e participou de encontros com representantes de instituições que dão apoio no oferecimento de atividades educacionais nas prisões.

Dias parabenizou trabalho da equipe do EPFIIZ

De acordo com o representante, foi observado que o estado tem potencial para se destacar em nível nacional no volume de ações educativas. “Se compilar todos os dados e reconhecer todas as atividades que desenvolve, o Mato Grosso do Sul, com certeza, estará entre os primeiros no país neste quesito”, elogiou Dias, que já percorreu 22 estados brasileiros.

O coordenador do Depen ressaltou que as atividades educacionais não se limitam apenas ao ensino formal, envolve também ações esportivas e culturais, além dos programas de assistência voltados à informação, como palestras em diferentes áreas. “Aqui em MS, por exemplo, fiquei admirado com a unidade feminina fechada de Campo Grande, o Irma Zorzi, com o volume de ações que são desenvolvidas, e em diferentes aéreas. É difícil ver uma unidade prisional com tantas atividades realizadas ao mesmo tempo”, parabenizou.

No entanto, ele alertou à Agepen quanto a necessidade de que as ações sejam sistematizadas e informadas no sistema oficial do Depen, o Sisdepen. Para isso, durante a visita ao estado, Dias realizou uma palestra junto a servidores que são responsáveis pelas atividades educacionais nas unidades prisionais da capital, informações que serão reproduzidas a profissionais do interior. “É importante conscientizar que precisamos de dados e informações para que possamos reconhecer esse esforço dos profissionais que atuam no sistema penitenciário, bem como traçar políticas públicas”, enfatizou.

Servidores responsáveis pelas atividades educacionais em presídios da capital receberam orientações

O coordenador reforçou que o Depen é um órgão fomentador, que auxilia os estados e financia diversas atividades nos sistemas prisionais. “E quando temos as informações e dados de maneira correta podemos observar onde devem ser investidos determinados recursos”, pontuou.

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a presença de representantes do Departamento Penitenciário Nacional no estado, e o alinhamento com o trabalho, reforça o compromisso com o desenvolvimento de iniciativas voltadas à ressocialização por meio da educação. “E isso é essencial para atingirmos o maior número possível de apenados, contribuindo com o fortalecimento da reintegração social, uma vez que educação, cultura e esporte representam importantes ferramentas de transformação de vida”, argumentou.

Fomento a parcerias

Reunião na Secretaria de Estado de Educação

Acompanhado pela chefe da Divisão de Assistência Educacional da Agepen, Rita de Cássia Argolo Fonseca, o coordenador do Depen se reuniu com representantes da Secretaria de Estado de Educação (SED), parceira da agência penitenciária na execução do ensino formal nas unidades penais, bem como nos cursos profissionalizantes realizados pelo Programa Nacional de Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Prisional.

Na pauta, foi destacado com o coordenador de Políticas Específicas da SED, Alfredo Anastácio Neto, que o estado já conseguiu executar 80% dos cursos ofertados pelo Pronatec e analisaram como superar os 20% restantes. Outro assunto foi a ampliação de vagas do ensino formal básico (fundamental e médio) aos custodiados do sistema penal, como parte do Plano Estadual de Educação nas prisões.

Parceria com a UFMS deve ser ampliada

Na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), foram recebidos pelo reitor Marcelo Turine e equipe para discutir a ampliação da parceria nas ações de remição pela leitura aos detentos. A intenção é que a universidade possibilite, com sua comunidade acadêmica, mais projeto voltados para o tema.

Na prática, conforme Dias, o objeto dos encontros foi possibilitar o apoio do Depen na resolução de demandas que possam estar pendentes para a execução e ampliação das ações. “Vamos trabalhar pra que, até o final do ano, a gente possa cumprir as metas que combinamos”, finalizou.

(Com assessoria. Fotos: Divulgação)

Continue Lendo

Cidades

Governo investe R$ 99,6 milhões em obras nas rodovias e estradas da Costa Leste do Estado

O objetivo é contribuir para economia local, melhorar o escoamento da produção e tornar o trânsito mais seguro.

Publicado

on

Com investimento de R$ 99,6 milhões, o Governo do Estado promove uma série de obras de pavimentação em rodovias e estradas na região da Costa Leste. O objetivo é contribuir para economia local, melhorar o escoamento da produção e tornar o trânsito mais seguro. Neste pacote ainda tem o fortalecimento do turismo.

Em Três Lagoas, um dos principais polos industriais do Estado, o governador Reinaldo Azambuja deu ordem de serviço para pavimentação da MS-320, em um trecho de 31,75 km, que se trata do terceiro lote na rodovia. Lá serão investidos R$ 76,8 milhões.

“Nós temos gratidão por este apoio e parceria com a população de Três Lagoas, com diversas obras na cidade, entre elas a pavimentação da MS-320. Um governo municipalista e com responsabilidade, que contribui para o desenvolvimento da cidade e toda região”, destacou o prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro.

A pavimentação vai ajudar no desenvolvimento local, com o transporte de grãos e produtos da região, dispondo de uma logística de qualidade para ligar outros polos econômicos do Estado.

“O Estado recuperou a capacidade de investir. Os investimentos são importantes porque fortalecem a estrutura de logística, tornando nossos produtos mais competitivos. Por isso seguem as obras de pavimentação, restauração e conservação das rodovias”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

Anel viário

Em Santa Rita do Pardo o Governo do Estado promove a obra de pavimentação do contorno viário da cidade, com custo de R$ 12,77 milhões, em um trecho de 2,893 km. As atividades estão em andamento. Elas começaram no trecho da rodovia MS-338 e seguiram próximo ao frigorífico Frigolon.

A obra começou no final de março e a previsão é concluir os trabalhos até 18 de novembro deste ano. A pavimentação dará mais segurança ao tráfego da região, já que serão retirados os veículos pesados da área urbana do município e ainda iria contribuir com a economia da cidade.

“Estamos realizando um grande sonho da população de Santa Rita do Pardo. Esse investimento vai garantir mais segurança à população, retirando os veículos pesados da região urbana e também proporcionará mais desenvolvimento ao município”, disse o governador.

O prefeito de Santa Rita, Roberto Calixto Costa, afirmou que esta obra e outros investimentos na cidade mostram a parceria com o Governo do Estado. “O governador (Reinaldo Azambuja) tem mostrando que sua gestão é extremamente municipalista, preocupado com as cidades. São investimentos que vão ajudar a população”.

Fomento ao turismo

Em Anaurilândia já foi concluída a obra de pavimentação de acesso ao balneário municipal da cidade, que seguiu no trecho da MS-276, em uma extensão de 8,58 km. O investimento do Governo do Estado foi de R$ 9,99 milhões. A expectativa é melhorar as condições para contribuir com o turismo local.

O Governo do Estado tem investido na pavimentação e recuperação de estradas que dão acesso a balneários e pontos turísticos do Estado. O setor é uma das prioridades da gestão estadual, pela abertura de vagas de emprego, renda e fortalecimento da economia local.

As obras em rodovias na Costa Leste se somam a mais 57 espalhadas em diferentes regiões do Estado. Ao todo são 47 de pavimentação, no valor de R$ 1,7 bilhão e mais 13 obras de restauração (rodovias), com mais de R$ 330 milhões de investimento.

(Com assessoria. Foto: Divulgação)

Continue Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2021 Pauta 67