fbpx
Connect with us

Política

Plataforma de Pesquisa Científica em MS vai desenvolver medicamentos e vacinas

O documento foi assinado nesta segunda-feira (20) pelo governador Reinaldo Azambuja com a presidente da Fiocruz

Publicado

on

Convênio de R$ 14,854 milhões permitirá a instalação de uma Plataforma de Pesquisa Científica da Fiocruz em Mato Grosso do Sul. O espaço de ensaios clínicos será usado para o desenvolvimento de novos insumos, como medicamentos e vacinas, e até mesmo para novas aplicações de remédios já existentes. O documento foi assinado nesta segunda-feira (20) pelo governador Reinaldo Azambuja com a presidente da Fiocruz, Nisia Trindade Lima, em um evento no Bioparque Pantanal. 

Medindo de 2,5 mil a 3 mil metros quadrados, o novo prédio será erguido ao lado do Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública), em Campo Grande. O prazo para construção e execução é de 12 meses. Os recursos são do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, por meio da Fundect (Fundação de Ciência e Tecnologia).

Em seu discurso, Reinaldo Azambuja voltou a defender a ciência para proteger a saúde e proporcionar um futuro melhor às pessoas. “Eu tenho certeza de que toda essa equipe vai desenvolver pesquisas importantes para Mato Grosso do Sul, para o Brasil e o mundo. Por isso que o nosso governo é o que mais investiu em ciência e tecnologia de todos os governos que passaram por Mato Grosso do Sul porque, realmente, a gente acredita nisso. Sabemos que investir em ciência, tecnologia e inovação é investir em um futuro melhor para gerações, para a nossa população, em todas as áreas”, disse.

De acordo com a presidente da Fiocruz, a Plataforma de Pesquisa Científica vai beneficiar a população com pesquisas para desenvolver insumos que abastecerão o Sistema Único de Saúde. “Essa Plataforma de Pesquisa Clínica criada nesse momento, a partir do convênio com o Estado de Mato Grosso do Sul, é de grande importância para a Fiocruz mas, sobretudo, para o Sistema Único de Saúde, para o Brasil. Essa importância se dá no reforço à pesquisa clínica de novos medicamentos, vacinas, testes diagnósticos que terão aqui, consolidando assim toda uma trajetória de pesquisa, com especial ênfase na pesquisa clínica já realizada pela Fiocruz no Estado e vai permitir com que se faça uma avaliação de novas drogas ou até mesmo de novas utilizações de drogas já conhecidas para a população através do SUS”, declarou. 

A Fiocruz é a mais destacada instituição de ciência e tecnologia em saúde da América Latina. Para o secretário de Estado de Saúde, Flavio Britto, o investimento mostra a importância da ciência, tecnologia e inovação para Mato Grosso do Sul. “O governador Reinaldo Azambuja sempre apoiou de forma incondicional a ciência. Ao assinar esse convênio, está dizendo ao Brasil que a ciência é muito importante”.

Já o infectologista Julio Croda explicou a importância das pesquisas clínicas. “O que é essa pesquisa clínica? É a pesquisa com seres humanos na fase final de desenvolvimento de drogas, vacinas e novos tratamentos. Isso é muito importante porque vai colocar o Estado no cenário de captar recursos internacionais, principalmente, para o desenvolvimento de novas terapias. Além dessa captação de recurso que vem para o Estado, que emprega famílias, que gera conhecimento, artigo publicado, ciência, essa plataforma vai beneficiar os sujeitos da pesquisa, os indivíduos que participam da pesquisa”, disse.

E o diretor-presidente da Fundect, Márcio de Araújo Pereira, destacou o trabalho da Fiocruz no combate ao vírus da Covid-19 e a importância dos investimentos do Estado de Mato Grosso do Sul em ciência e tecnologia. “Sou grato por estar na Fundect com investimentos que vão desde a iniciação, com bolsas científicas, até pesquisas do mais alto nível”.

Dose fracionada de vacina

Durante o evento, a vice-presidente do Sabin Vaccine Institute, pesquisadora Denise Garrett, lançou o Ensaio Clínico Fract-cov. O estudo vai avaliar o uso de dose fracionada de vacinas contra Covid-19 para buscar um equilíbrio entre eficácia e efeitos colaterais. 

Participaram do evento no Bioparque ainda os secretários de Estado Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e Eduardo Romero (Cidadania e Cultura); secretários-adjuntos Crhistinne Maymone (Saúde) e Ricardo Senna (Semagro); ex-secretário de Saúde Geraldo Resende; e o infectologista Ricardo Venâncio, entre outras autoridades.

 

(Com assessoria. Fotos: Divulgação)

Continue Lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

MS entra em nova era da celulose com megafábricas que vão investir mais de R$ 34 bilhões

Empreendimentos vão garantir nos próximos anos que o Produto Interno Bruto do Estado (PIB) avance 5%.

Publicado

on

Mato Grosso do Sul vislumbra nos próximos anos mais de R$ 34 bilhões de investimentos somente em duas megafábricas de celulose: a Suzano com o Projeto Cerrado em Ribas do Rio Pardo e o Projeto Sucuriú da chilena Arauco anunciado na semana passada. Somente em valores as obras representam quase o dobro do orçamento anual do Estado que é de R$ 17 bilhões.
Os empreendimentos vão garantir nos próximos anos que o Produto Interno Bruto do Estado (PIB) avance 5%.

A atração de empresas deste porte colocará o Estado como o maior polo mundial de celulose. A avaliação foi feita pelo governador do Estado Reinaldo Azambuja que destacou que o desenvolvimento se faz com políticas públicas efetivas e segurança jurídica. “Este momento é especial. Não se escolhe um local para um empreendimento deste porte se não tiver segurança jurídica e confiabilidade”, comemorou.

Só na parte industrial serão investidos mais de R$ 15 bilhões pelo grupo chileno Arauco em Inocência. Se somado o projeto da base florestal isso vai chegar a R$ 20 bilhões. Ou seja serão necessários mais R$ 5 bilhões para plantar 290 mil hectares de floresta. “Esse investimento aqui em Mato Grosso do Sul vai significar um crescimento do PIB do Estado superior a 5% nos próximos anos, o que coloca MS na dianteira do desenvolvimento nacional”, comemorou Azambuja.

Ele lembrou que os incentivos que foram dados a Arauco são os mesmos que a Eldorado e a Suzano receberam. “Os incentivos são os mesmos que serão direcionados a outros que quiserem vir porque a cadeia produtiva é tratada como um todo no Estado. Não criamos uma competição desleal. São atrativos iguais. Sabemos da importância de uma política de atração de empreendimentos com geração de empregos”, acrescentou.

Governador do Estado Reinaldo Azambuja participou do lançamento da fábrica de celulose

O governador afirmou que o Estado criou uma base sólida de investimentos que geram empregos para Mato Grosso do Sul. Tanto que somente a Arauco prevê a abertura de mais de 12 mil vagas apenas na fase de construção da planta em Inocência. “Quando em operação a fábrica vai gerar mais 550 empregos diretos e indiretos e mais 1.800 na parte florestal. Isso representará 14,3 mil famílias contempladas”, afirmou.

Já o Projeto Cerrado da Suzano em Ribas do Rio Pardo, com um investimento de mais de R$ 19 bilhões, está com as obras aceleradas. Atualmente, a obra da fábrica da Suzano em Ribas do Rio Pardo conta com cerca de 4.000 trabalhadores (dados de junho/2022). No primeiro semestre de 2023, quando deverá ocorrer o pico da obra, serão criados cerca de 10.000 empregos diretos no empreendimento, gerando também milhares de empregos indiretos na região. Quando entrar em operação, a nova fábrica da Suzano terá 3.000 postos de trabalho, entre diretos e indiretos atendendo as operações industrial e florestal.

A Suzano também possui duas fábricas em Três Lagoas, que geram 6.000 postos de trabalho entre diretos e indiretos, considerando as operações industriais e florestais.

Azambuja disse que Mato Grosso do Sul vive uma valorização de ativos regionais. “Com este empreendimento da Arauco serão valorizadas as propriedades rurais, o comércio e toda a atividade econômica na região de Inocência, Cassilândia, Paranaíba Água Clara e Três Lagoas. Todos estes municípios serão impactados positivamente”, argumentou.

Diretrizes fortes

O secretário de Estado de Produção, Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro) Jaime Verruck, salientou os desafios que o Estado enfrentou para chegar até este momento de economia pujante. “Estabelecemos como uma das diretrizes estruturar o Mato Grosso do Sul através do planejamento. Dentro disso conseguimos estabelecer um rumo para o Estado”, relembrou.

Secretário de Produção, Jaime Verruck falou da diversificação na economia – Chico Ribeiro

Um dos caminhos para desenvolver o Mato Grosso do Sul era fomentar projetos estruturantes. “Fizemos isso com diversificação, agroindustrialização e aumento das nossas exportações com diversificação também dos mercados internacionais”, destacou.

Verruck pontua que foi necessário adequar e preparar o Estado para atrair investimentos com estrutura. “Fizemos o dever de casa. Reduzimos o teto de gastos, fizemos mudanças fiscais, de incentivos, instalamos um Escritório de Parcerias Público Privadas. Tudo para arrumar o Estado. E hoje colhemos os frutos”, alegou.

Atualmente são três fábricas de celulose instaladas e em operação no município de Três Lagoas: uma da Eldorado Brasil, com capacidade de produção de 1,8 milhão de toneladas de celulose por ano; duas da Suzano, que produzem 3,25 milhões de toneladas por ano. A Suzano iniciou a construção de mais uma fábrica no Estado, em Ribas do Rio Pardo, que será a maior planta industrial de celulose do mundo, produzindo 2,55 milhões toneladas/ano. “Temos três plantas de celulose em operação com produção de 5 milhões de toneladas por ano. Três Lagoas é considerada a capital mundial da celulose e MS é o Estado que mais exporta no país 27% de toda a celulose comercializada no exterior. A Suzano é líder na exportação e nos próximos anos vamos manter esta liderança”, adiantou.

Com relação a base florestal Verruck destaca que Mato Grosso do Sul conta atualmente com 1,3 milhão de hectares cultivados. “Só a demanda atual é de 542 mil hectares adicionais. Com o empreendimento da Arauco este montante deve crescer mais o que nos levará a uma área estimada em breve de 2 milhões de hectares e seremos o primeiro na produção florestal”, lembrou.

E mais, será um crescimento sustentável na expansão das florestas. “A indústria sul-mato-grossense não expande sua área em cima de mata nativa. São mais de 8 milhões de hectares de pastagens degradadas, e por isso temos a possibilidade de crescer reformando estas áreas de pasto. Somos o primeiro Estado do Brasil na Integração Lavoura Pecuária e Florestas (ILPF). Hoje nossa indústria florestal gera 26 mil empregos diretos. Ou seja estamos redefinindo o desenvolvimento da Costa Leste”, finalizou.

(Com assessoria. Fotos: Divulgação)

Continue Lendo

Cidades

CBMMS inicia Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio

Serão realizadas atividades institucionais pelos quartéis da Corporação

Publicado

on

De 26 de junho a 2 de julho de 2022, comemora-se a Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio. Durante esse período, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) está realizando diversas ações em todo o estado.

Serão realizadas atividades institucionais pelos quartéis da Corporação, tais como simulados técnicos operacionais, ações esportivas, educativas, palestras, concerto de música, entre outras.

Em Campo Grande, nesta segunda-feira (27), foi realizada a abertura da Semana Nacional de Prevenção Contra Incêndio com um Culto Ecumênico, no auditório do Bioparque Pantanal.

O evento contou com a participação de representantes das religiões Católica,   Evangélica e Espírita. Vários bombeiros militares da Capital estiveram presentes no Culto Ecumênico.

” É um momento que fazemos uma reflexão sobre nosso trabalho em benefício da população e pedimos a Deus, o nosso Comandante-Supremo, para que abençoe  toda a nossa Corporação para podermos seguir cumprindo com a nossa missão de salvar vidas”, destacou o Comandante-Geral do CBMMS, Coronel Hugo Djan Leite.
(Com assessoria. Foto: Divulgação)

Continue Lendo

Política

Governo amplia vagas do concurso da Polícia Civil e nomeia 532 aprovados entre policiais civis e penais

Para conferir na íntegra os decretos que tratam das ampliações de vagas, basta acessar o Diário Oficial do Estado desta segunda

Publicado

on

O Governo do Estado nomeou nesta segunda (27.06), 532 candidatos aprovados nos concursos públicos da Polícia Civil de MS e Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), os nomeados vão reforçar os quadros de pessoal da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). O decreto de nomeação, publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), está disponível www.imprensaoficial.ms.gov.br.

As nomeações incluem aprovados no certame da Polícia Civil de MS nas funções de Médico Legista (58), Perito Criminal (75), Perito Papiloscopista (42), Agente de Polícia Científica (96) e Delegados de Polícia (75); e da Agepen – Polícia Penal (186) candidatos aprovados.

Outros decretos publicados, assinados pelo governador, Reinaldo Azambuja, ampliam em 110 vagas do Concurso da Polícia Civil para os cargos de Perito Médico Legista (5), Agente de Polícia Científica (60) e Delegado de Polícia (45).

Para conferir na íntegra os decretos que tratam das ampliações de vagas, basta acessar o Diário Oficial do Estado desta segunda-feira, nas páginas 02 a 03.  Já os editais com as nomeações, podem ser acessados entre as páginas 140 a 150. O link de acesso é o www.imprensaoficial.ms.gov.br.

(Com assessoria. Foto: Divulgação)

Continue Lendo

Mais Lidas

Copyright © 2021 Pauta 67